Novidades: Roda Gigante em Balneário Camboriú

[vc_row][vc_column][vc_btn title=”Imóveis próximos a roda gigante” style=”flat” shape=”square” color=”green” size=”lg” align=”center” i_type=”openiconic” i_icon_openiconic=”vc-oi vc-oi-right-circle” css_animation=”appear” link=”url:https%3A%2F%2Fwww.imobillenegocios.com.br%2Flocation%2Fsanta-catarina%2Fbalneario-camboriu%2Ffrente-mar-norte%2F||” button_block=”true” add_icon=”true”][vc_column_text]O Costão da Barra Norte, vai receber além da roda gigante de 65 metros de altura, um parque que contará com trilhas e mirantes.

 

Um novo investimento que deve impactar significativamente o turismo de Balneário Camboriú e do Estado foi aprovado pelo Conselho da Cidade, na noite de quinta-feira (09), no plenarinho da Câmara de Vereadores. A proposta prevê a instalação de uma roda gigante de 65 metros de altura e de um parque que contará com trilhas e mirantes.

Post atualizado aqui.

Roda Gigante em Balneário Camboriú será a maior da América do Sul.

 

Roda gigante em Balneário Camboriú

Roda gigante em Balneário Camboriú

 

A Roda Gigante, chamada de Balneário Camboriú Big Wheel, será a maior da América do Sul, e contará com 32 cabines climatizadas, que proporcionarão vistas panorâmicas da cidade e da orla, num passeio silencioso, limpo e seguro. A atração tem como local, uma área privada de 37.500 m2, no costão da Barra Norte, e contará com uma estrutura que se conecta à passarela do costão, além de áreas de convivência, banheiros, segurança, iluminação e Wi-fi.

 

Após a aprovação pelo Conselho da Cidade como projeto especial, a proposta segue agora para o crivo dos vereadores da cidade e depois deve ser submetida aos técnicos da Secretaria de Planejamento. Ao todo, serão injetados no empreendimento um total de R$ 40 milhões, recurso privado. A previsão dos investidores é de que as intervenções para a instalação da atração comece já em maio do ano que vem e que a inauguração seja em março de 2019. O empreendimento deve gerar no mínimo, 40 empregos diretos e 40 vagas indiretas, mas o grande potencial está no incremento turístico, inclusive do Estado.

 

 

Conforme o empresário responsável pelo projeto, Cícero Fiedler, da Big Wheel S.A., o parque prevê a construção de edificações de baixo impacto ambiental, utilizando menos de 1% da área total do terreno. O acesso ao local será público e deverá ser cobrado só o que for consumido. Similar a de Londres, a roda gigante poderá operar em horário diferenciado, tornando uma opção para lazer noturno. O passeio deverá ficar entre R$ 20 e R$ 30. Já os acessos aos mirantes e trilhas ainda não tem definição se terão custos ao visitante ou não.

 

Apoio do poder público

O projeto tem o apoio da administração municipal uma vez que prevê um forte impacto no turismo e na urbanidade do município catarinense. A expectativa é de que o parque contribua para projetar a imagem de Balneário Camboriú em nível internacional, a exemplo de outros grandes destinos turísticos como Londres, Las Vegas, Chicago e Hong Kong. “Será um marco para Balneário Camboriú, um novo cartão postal, um novo ícone do turismo como ocorreu em outros grandes destinos no mundo. Tenho certeza de que será assim na nossa cidade também, além de contribuir para minimizar riscos de violência e depredação daquela área” avalia o prefeito, Fabrício Oliveira. Ele destaca que o empreendimento além de despertar o retorno de muitos turistas à cidade deve complementar os equipamentos turísticos atuais e se tornar uma nova atração para Santa Catarina.

 

Autorizado início das obras da Big Whell

O alvará de construção da Roda Gigante de 65 metros de altura a ser instalada em área privativa no Costão da Barra Norte, em Balneário Camboriú foi concedido pela prefeitura. Em decisão anterior da Vara da Fazenda Pública de Balneário Camboriú, a instalação da Big Wheel já estava liberada.

As obras também estão autorizadas pela Secretaria de Planejamento do munícipio, contudo a empresa responsável pelo complexo aguarda o resultado em tramitação no Tribunal de Justiça de SC (TJSC) envolvendo ação ajuizada pelo Ministério Público, a qual alega que a legislação ambiental e o zoneamento da cidade não permite a construção no local. Todavia em entendimentos anteriores a liberação para o empreendimento compreende que a área a qual será destinada para atração não é considerada de preservação permanente.

Em demonstração de apoio popular um abaixo-assinado digital no site change.org; foi lançado em favor do projeto e conta com mais de duas mil assinaturas.

Texto atualizado em 16/08/2019

 

Fonte: Prefeitura de Balneário Camboriú

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Simplifique a sua busca, assista o vídeo e encomende seu imóvel!

O jeito mais fácil de encontrar o seu imóvel em Balneário Camboriú e Praia Brava.